Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria Inês.

por Inês Saraiva

Maria Inês.

por Inês Saraiva

O gelado da Cila.

Gelado de Natas com Bolacha Maria.

 

 

"Cozinhar não é serviço, meu neto", disse ela. "Cozinhar é um modo de amar os outros." (Mia Couto, in O fio das missangas)

 

 

 

Aqui por casa não comemos muito sobremesas, é algo que fica reservado para dias festivos, não é que não gostemos, porque gostamos e muito.

Mas por um motivo qualquer (nunca pensei de fato qual será o motivo!) não é algo que se faça muito aqui por casa.

Fazemos bolos, muitos bolos, mas bolos para sobremesa ou outro tipo de sobremesa não costumamos fazer.

Hoje fugimos à regra, quebramos a rotina e fiz esta sobremesa deliciosa! Chamo a esta delícia "Gelado da Cila" porque foi a minha amiga Cila que gentilmente partilhou conosco a receita.

Bem na verdade não partilhou só a receita, partilhou também o sabor! Fez o gelado na nossa casa e viramos fãs!!!

É fácil, rápido de confeccionar e o melhor... É delicioso!!!!

image.jpg

 

Ingredientes (para 6 pessoas):

2 pacotes de natas para bater

2 pacotes de bolacha Maria (ou tipo Maria)

1 lata de leite condensado

 

Preparação:

1. Rale a bolacha, reserve.

2. Bata as natas em castelo, envolva nas natas suavemente o leite condensado.

3. Num recipiente que possa ir ao congelador disponha primeiro um pouco de bolacha ralada e depois o preparado, e assim sucessivamente.

4. Leve ao congelador. Quando estiver solidificado sirva e delicie-se!

 

 

 

 

 

 

 

Bom apetite.

Madrinha.

Sobre ser Madrinha.

E quando o convite de ser Madrinha chega?

O convite Madrinha chegou até mim há 7 anos atrás, tinha 23 anos, muita loucura, muitos sonhos, mas responsabilidade... Bem o certo é que dentro da minha irresponsabilidade havia muita responsabilidade. Mas não a suficiente para ser madrinha. A minha casa não estava arrumada, não sabia o caminho que havia de escolher. E foi no meio desta confusão que recebi o convite. Assustou-me e muito. 

Ser madrinha, exige responsabilidade, isto para quem leva esta coisa de ser madrinha a sério. Ora cresci a saber que madrinha de batismo é a segunda mãe. Imaginem o pânico! Depois o meu afilhado nasceu, e o meu amor por ele foi crescendo com ele. O medo ficou para trás.

Hoje há apenas a felicidade, o amor e o sonho de que ele continue a crescer Feliz como ele é e que a vida lhe seja sempre generosa.

Mais tarde chegou o dia de renovar o voto  madrinha. Já com a casa arrumada, foi mais fácil. 

E hoje este pedido foi mais uma vez feito.

Não imaginam a minha felicidade. Por isso a partilho. Porque não cabe em mim, é grande, maior.

Ser madrinha é um reconhecimento maior. Alguém confia no nosso amor, na nossa vontade. Alguém se orgulha de nós e quer que o acompanhemos sempre e para sempre.

Porque é lá que estarei Sempre. No Sempre.

Um sentimento maior cresce no peito com o pedido. O meu amor também ficou maior. Assim como a minha responsabilidade. Tenho três vidas comigo, que irei acompanhar, que irei partilhar, que irei ser sempre responsável por elas, e essencialmente amar.

Porque uma madrinha é amor, mesmo longe, mesmo mais silenciosa, quem recebe este voto de confiança deve ter consigo amor.

Madrinha é quem nos acompanha sempre, é a mãe que não nos viu nascer, mas que nos traz no peito como se mãe fosse. A responsabilidade desta confirmação é grande, no entanto é uma benção maior que nos faz sentir especiais. Hoje sinto-me especial.

 

 

 

Hoje renovo esta vontade de ser Madrinha. E sinto-me Feliz!

Deus deu-me a possibilidade de ter três meninos afilhados que são os meus três amores. A quem desejo a maior sortes de todas, a maior felicidade.

Porque de todas as escolhas eu fui a escolhida e isso... Bem isso é um reconhecimento pelo qual serei sempre responsável.

 

Porque tu és responsável por aquilo que cativas, eu sou responsável por estas tês vidas.

 

 

 

 

 

 

Aos meus afilhados.

Maria Inês.

 

 

Casa da Cultura de Pinhel.

Uma Casa que devemos conhecer.

 

Hoje no blogue falamos sobre a casa que todos nós precisamos, e devemos conhecer, a Casa da Cultura de Pinhel.

O emblemático espaço, antigo Paço Episcopal, edificado em 1783, propriedade do município funcionou como residência de estudantes, e, nos últimos anos foi sede da Empresa Municipal.

Entretanto no ano passado o edifício sofreu alterações, foi remodelado e hoje é a Casa da Cultura de Pinhel. A casa acolheu em Agosto, data da inauguração, o Museu José Manuel Soares, o museu dedicado ao mestre Soares, que acolhe o seu espólio com cerca de 175 obras do pintor, avaliadas em 600 mil euros, ocupa o primeiro piso do edifício.

A grande parte da sua obra são ilustrações sobre as batalhas de Portugal que, há uns anos, surgiam nos livros de História.

Um exposição permanente que vale a pena conhecer. O Museu, dotado de auditório, é também utilizado para as sessões intituladas "Museu à Noite", iniciativa do Município de Pinhel, sempre com um tema e um orador diferente.

O espaço remodelado ganhou então nova vida, eu, que o conhecia há anos, senti-me a entrar num espaço completamente diferente. Conseguiu-se uma sintonia perfeita entre o antigo e o moderno, entre o clássico e o comtemporâneo, para terem noção do que ali se fez, um exemplo de reutilização que me maravilhou foram as portadas das janelas do antigo Paço Episcopal que foram recicladas e deram vida a bancos espalhados pelo Museu, esta é apenas uma observação de quem conhecia pessoalmente o espaço, mas vocês podem fazer as vossas próprias descobertas...

O trabalho desenvolvido pelos arquitectos do colectivo depA [departamento Arquitectura] foi formado em 2009, no Porto (aqui) tem um filho da terra Luis Sobral, o projecto desenvolvido é hoje um dos projetos finalistas do Prémio Fomento de las Artes y del Diseño (FAD) de Arquitetura, na categoria de Design de Interiores.

Queremos que tragam o prémio para casa e que vocês visitem na Cidade Falcão a Casa da Cultura.

 

O entrada do Museu José Manuel Soares...

10612711_958440140849438_3171222684933911758_n.jpg

 

A Casa da Cultura de Pinhel..

11275599_997343660300577_233835757_o.jpg

11282558_997343656967244_1328304067_o.jpg

11293575_997343653633911_169622159_o.jpg

 

 

Pinhel espera por si!

Deixe-se encantar!

 

 

 

XX GALA Globos de Ouro.

Sobre os Globos de Ouro Sic/Caras 2015.

 

Este ano a Gala completou o vigésimo aniversário. A passadeira vermelha cobriu-se de glamour para aplaudir os premiados.

Este é o momento certo para os estilistas e as casas de styling mostrarem o que fazem e o que sabem fazer, mais do que a curiosidade em saber quem ganha em que categoria, os espestadores anseiam por ver os vestidos, as jóias, os fatos, ou não fosse esta a noite de todo o brilho.

Infelizmente não consegui ver a Gala até ao fim mas consegui  ver o António Zambujo vencer em duas categorias!!! Recebeu o globo na categoria de melhor música de 2014 (aqui), e na categoria melhor intérprete individual (aqui). Boa António!
Fiquei feliz por ver o seu trabalho reconhecido, a música dele tornou-se há muito uma companhia. Claro que também votei nele!
 
Mas, vamos aos vestidos sim sim?! Gostei de muitos, mas estes foram os meus eleitos!
 
 
Raquel Strada em Luis Carvalho, maravilhosaaaa!
 

2015-05-24-8-Raquel-Strada.jpg

 

Cláudia Vieira em Carolina Herrera, miúda que arraso...

 

2015-05-25-83-Claudia-Vieira.jpg

2015-05-25-84-Claudia-Vieira (1).jpg

 

 

E quais foram os vossos preferidos?

Contem-me tudinhooo vá!

 

 

 

Maria Inês.

 

 

 

 

 

Calças Palazzo

Ontem foi um dia muito especial. Ontem foi o dia em que a menina de faces rosadas recebeu a benção do fim de uma etapa. A merecida benção, o reconhecido esforço de um caminho percorrido. 

Fomos então até à Cidade da Neve, onde felizmente a neve já não nos esperava, o dia era de sol, um sol quente para acolher a benção recebida.

Foi um dia Feliz. 

O dia estava quente, o sol sorriu e aqui fica o look escolhido.

IMG_8919.JPG

IMG_8927.JPG

IMG_8934.JPG

IMG_8938.JPG

 Blusa: Zara|Calças: Lefties| Brinscos Aneís: Parfois|Relógio: Calvin Klein| Bolsa e Sandália: Zara

 

 

Espero que gostem.

 

 

 

 

Beijo.Beijo.

Maria Inês.

 

 

 

 

 

Sobre Planear uma viagem III

"Morre lentamente
Quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo (...)"

(Martha Medeiros)

 

 

Há tempos falamos sobre planear uma viagem, aqui, depois falamos sobre compra de bilhetes de avião, aqui, e, prometi partilhar os passos sobre procura de alojamento. Hoje falamos então sobre a procura de alojamento.

Para quem viaja, um dos aspetos mais importantes a ter em conta é o alojamento... Não há nada como uma boa noite de sono para acordar cheio de energia. Claro está que a escolha do alojamento deve ir de encontro com as necessidades pessoais e com o tipo de destino que escolherem, por exemplo há destinos  em que escolho simplesmente um quarto com casa de banho, outros em que prefiro que tenha piscina exterior. Como vos disse depende das necessidades e preferências de cada um. 

Quando ao alojamento devo referir que aqui gastamos a outra “grande fatia” nosso orçamento que vos falei aqui.

 

Por isso é muito importante fazer uma boa pesquisa! Os sites que costumo utilizar são os que em seguida irei indicar, se utilizarem outros partilhem a vossa informação comigo, saber nunca ocupou lugar!

 

Ora, na minha modesta opinião os motores de busca mais completos são, e, também os que utilizo, o Bookingaqui, e o Hostelworldaqui, depois consulto sempre os sites Tripadvisoraqui, e  o site Trivagoaqui, para ver opiniões, os comentários e as classificações, isto porque raramente a realidade do alojamento é diferente descrita.

Por outro lado estes motores de busca são bastantes confiáveis.

 

Aqui há algumas dicas a ter em conta...

Há semelhança do que aconteceu com a compra de bilhetes de avião, aqui, devemos também ser flexíveis na escolha das datas de marcação do alojamento, evitando de preferência a época alta (fins de semana prolongados, feriados, épocas festivas, etc..), mas como é óbvio não vamos marcar o alojamento para 7 noites com inicio de estadia em 10 de Julho e o voo com datas de 9 de Agosto! Ahahah...

 

Por outro lado, nem sempre o hotel mais barato é o melhor negócio, lembrem-se que alguns hotéis são baratos por alguma razão, por isso vejam bem os comentários disponíveis nos sites que indiquei e no próprio site  onde estão a reservar.

 

Assim é também conveniente fazer uma pesquisa sobre os pontos de interesse da cidade, isto porque acontece por vezes a  distância entre localização do alojamento em relação ao centro da cidade ser grande, ou seja, ficar afastado, assim por um lado poderemos poupar muito dinheiro, mas por outro lado, teremos que gastar em transportes ao que acrescentamos o tempo que iremos demorar a chegar ao centro da cidade.

Devo dizer-vos que às vezes compensa ficar um pouco afastado do centro, não muito, mas neste caso, ao ficar um pouco afastados do centro ou dos pontos de interesse, por exemplo da praia, convém existir uma boa rede de transportes para que assim tenhamos sempre possibilidade de nos mover até onde desejamos.

 

Também é importante saber se o preço final inclui o pequeno-almoço, se tiver ótimo, se não é mais uma despesa que teremos que acrescentar e há cidades em que o preço do pequeno-almoço fica quase do preço da estadia, logo compensa reservar com pequeno almoço, e há hoteís em que esta refeição é uma maravilha!

 

Por curiosidade, acontece algumas vezes fazermos uma pesquisa por exemplo na cidade de Roma, e escolhemos o hotel mais barato.

Agora vamos fazer uma comparação de preços para esse mesmo hotel em vários sites, ok? O que observamos? Que existe uma diferença de 20 euros para o mesmo quarto! Estranho não é? Mas é mesmo assim que acontece, cada site tem a sua margem de lucro, e daí surgirem estas diferenças.

 

 Outra opção que podemos considerar é o Couchsurfing, esta rede social permite fazer a ponte entre turistas e viajantes que queiram alojamento grátis e os anfitriões que os queiram receber. É uma das boas formas de poupar dinheiro enquanto se viaja, nunca experimentei mas conheço quem faça parte da rede e até hoje além de nunca ter tido problemas aconselha!

 

Contudo, mais uma vez digo-vos que em todas as situações é muito importante ler sempre alguns testemunhos de utilizadores que pernoitaram no hotel, é sempre útil termos uma ideia dos prós e contras do local onde queremos ficar alojados.

 

Então e o que fazemos agora?!Já escolhemos o destino, já traçamos mais ou menos o orçamento, compramos os bilhetes de avião, escolhemos alojamento... vamos viajar?!

 

Logo logo novo post onde vos conto as minhas viagens e onde vos darei dicas que considero muito úteis!

 

 

 

 

Vamos ser felizes e viajar?

Vamos!

 

 

 

Quem te ama não te agride.. uma história.

Quem te ama não te agride... É este o slogan de mais uma campanha contra a violência no namoro. Este slogan faz-me viajar até ao crime de violência doméstica. E que viagem tão amarga. De todos os crimes de que somos susceptíveis de ser alvo, este é o que mais me assusta. São terríveis, as marcas que este crime deixa, e que o tempo nunca irá apagar. Quando escuto a palavra "violência doméstica" um nó ganha forma no meu estômago, a garganta fica seca, uma fúria cresce dentro de mim. Mas não, não sofri de violência doméstica, nem nunca o permitirei! Mas sofro indirectamente por cada  um que sofra com este crime em silêncio, num terrível silêncio, por cada marca que esta lhe deixou...

Cresce em mim uma revolta que nunca me irá abandonar, e pergunto-me como é possível o amor ganhar esta forma? Amor, sim amor... Porque o/a agressor/a amava-o/a com todo o seu ser, com toda a sua alma, dizem os agressores vezes sem conta.

Mas amor? Que amor é este que magoa, que destrói, que maltrata, que faz sofrer, que mata.. porque este amor também mata! Isto não é amor, não pode ser!

Mas ele tinha amor, por ela.. (dizem eles) Outras vezes ouvimos: "eles são de outra época, e isto é normal acontecer!" . Será normal?! Não! Não pode ser normal!

Para alguns é normal, é da época.. aos olhos de todos é triste, acontece, mas depois é normal. E os dias, os meses, anos vão passando, e, esta normalidade acompanha a vitíma sempre.

Alguns casos, acontece chegar o dia em que a vitíma também se torna agressora. Como se o jogo tivesse mudado e os papeís se tivessem invertido. Ela que sofria com agressões, tornou-se agressora, e o mundo começa a vê-la com outros olhos..

Revolta, insensatez, raiva, ódio, medo.. o culminar de todos os sentimentos, uma mistura explosiva de todos os sentimentos, de anos de violência, fazem da vitíma agressora. E, depois há dias em que tudo chega ao fim. Ou, supostamente há um fim..  Porque as marcas ficam para sempre... há quem as carregue para sempre... o tempo não as levou.... não as levará.

Este crime que cresce ao nosso lado e que nos culpam enquanto sociedade. Histórias que não deviam acontecer. Histórias que temos o dever cívico de denunciar!

 

Quem cala consente! Denúncie!

Maria Inês.

 

Dia da Família.

Sobre a Família.

Segundo consta hoje é o dia da família. Pois bem, a mim calhou-me uma família enorme. E, gosto assim. 

Somos barulhentos, rabugentos, rimos e discutimos alto. Às vezes chego a pensar que devemos ter ascendência italiana!

Cresci rodeada de irmãs, primos e primas, tios, tantos tios! Sempre fomos muitos lá em casa. O silêncio é uma palavra que só conhecemos nos piores momentos, ou quando a minha mãe ouve atenciosamente a telenovela da noite (momento sagrado!), de resto barulho é tudo o que se escuta desde sempre lá por casa. Como cresci numa aldeia, os vizinhos, que mesmo não sendo família ás vezes tornavam-se ramificações da mesma. E ainda hoje fazem parte da nossa grande família.

Cresci também com esta frase da minha avó "A família é sangue do nosso sangue, e devemos amá-la e respeitá-la", e, a verdade é que cresci com um Amor enorme à minha família, somos todos diferentes, mas no fundo somos todos iguais. Somos festeiros por natureza e muito teimosos. A minha mãe diz que saímos teimosos ao jeito da família do meu pai, mas a da minha mãe não é menos teimosa!Ahah... Confesso somos uma família muito Feliz.

Temos um jeitinho muito próprio de ser, sou uma família simples, onde todos têm um lugar no coração uns dos outros. Nem sempre é fácil gerir emoções no meio de uma família tão grande, às vezes as discussões são duras, por outro lado sentimos emoções bem fortes, bem felizes. Sabemos que aconteça o que acontecer no final fica tudo bem, porque somos família, e a família é sempre o nosso porto seguro, o ombro amigo nos dias difíceis e a extensão do nosso sorriso. Ser família é isto e muito mais.

Somos Família.

 

 

 

A minha família é a minha casa.

(José Luís Nunes Martins,

in 'Amor, Silêncios e Tempestades') 

 

 

Fátima.

13 de Maio.

Hoje, falo-vos de Fátima. Do Amor, da Fé, da Serenidade. Do Santuário de Fátima.

Cresci como católica praticante, como muitas crianças fui batizada, frequentei a catequese, e aceitei o sacramento do crisma, no entanto a meio do caminho questionei muito do que me diziam, li bastante, duvidei muito.. e, se ainda há muito que me faz duvidar, há verdades que me fazem acreditar.

O Amor de Maria faz parte das minhas verdades. Maria é Amor. Para mim sempre o foi.

Se apereceu ou não aos três pastorinhos, não sei, dúvido muito que tenha aparecido em cima de uma azinheira, acho que faz parte da imagem bucólica que nos querem transimitir, imaginem Maria representada em imagem em cima de uma das ovelhas que os três meninos guardavam na altura? A imagem não seria certamente a mais bonita! Também não sei se apareceu mesmo a 13 de Maio, mas sempre achei que o 13 tinha uma certo misticismo! 

Contudo, aceito Fátima como o lugar de culto à mãe que tem um Amor maior, que nos transcende. O Santuário envolve-nos e convida-nos à reflexão. O terço do dia 12 de Maio à noite, que culmina com a passagem de Nossa Senhora pelos peregrinos arrepia, não há uma única vez que não me emocione e uma lágrima corra pelo meu rosto. A passagem de Nossa Senhora é um momento a que ninguém fica indiferente, o coração enche de esperança, um silêncio interior cresce na alma. É a fé que renova. 

A noite do dia 12 de Maio, é das noites mais belas que vivo repetidamente. Gosto de ir ao Santuário de Fátima, prestar o meu culto à mãe de todas nós, a mãe que sofreu, que ilumina, que transmite esperança.

Não critico quem não crê, quem não a ama, mas também não admito que critiquem a minha fé por Maria. A fé, que acalma, que me acompanha.

Dia 12 e 13 de Maio foram mais dois dias de culto, que me renovaram enquanto pessoa. Carreguei a minha alma de fé, esperança, bagagem que me irá acompanhar em mais um ano, e para ano estarei lá novamente...

 

 

 

Pelo Amor a Maria. Pelo Amor de Nossa Senhora.

A cidade do falcão.

Sobre "A Cidade do Falcão". 

Por terras de Falcão o fim de semana foi muito animado, a Feira Medieval encheu o centro histório de Pinhel de cor, festa e muita diversão...

No decorrer dos dias, muito foi o que ia acontecendo um pouco por todo o lado...As festividades tiveram início com um cortejo Medieval, na tarde de sexta-feira, centenas de crianças desfilaram pela Rua Direita até ao Castelo, vestidas a rigor, mostraram assim, a quem assistia, as vestes medievais. 

O fernesim de quem subia e descia as ruas desde a praça do município até aos castelos era intenso, ao longo do percurso havia várias barraquinhas que aqui e ali iam vendendo produtos tradicionais, bijuterias, loiças estilo antigo, e, entre uma barraquinha de pão com chouriço e uns crepes aparecia a ginjinha e uma leitora de Tarot. Nestes dias, as ruas do centro histórico ofereciam de tudo um pouco, a quem por lá passava.

Habitantes locais, generosamente aderiram ao espírito festivo, e, passeavam pelas ruas em vestes medievais. Outros, não tão ousados, passeavam com fitas de flores na cabeça. As ruas, que já eram bonitas, ficaram cheias  de vida e mais beleza.

Espetáculos de acrobacias e malabares, de múscia iam acontecendo pelas ruas. Sem esquecer as danças medievais que também aconteceram um pouco por todo o lado...Espetáculos de rixas na taberna, que aconteceu na praça alimentar.

A vida medieval, sentiu-se por toda a zona histórica.

Nas tasquinhas, com vista privilegiada sobre a cidade, viveram-se grandes momentos de convívio e festa.

O final do dia culminava com um espetáculo no Castelo.. no sábado o castelo de Pinhel foi tomado pelos seguidores do Rei de Castela e Leão, João I,  entre momentos de tensão e de riso, reviveram-se momentos histórios.

No domingo, dia da grande batalha, Pinhel reconquistou o seu Castelo!

 

Depois de um fim de semana intenso, o registo fotográfico...

 

image.jpg

 

image.jpg

image.jpg

image.jpg

 (Algumas fotografias retiradas da página oficial do Facebook do Município de Pinhel.)

 

O calor que no fim de semana se fez sentir, tornou a festa ainda mais apelativa, no entanto, nada seria possível sem o trabalho e dedicação da Câmara Municipal de Pinhel, e, especialmente do seu Presidente Rui Ventura, a quem se deve a organização do evento, e, a quem nós festivaleiros devemos um obrigada.

 

 

 

Pinhel espera por si!

Deixe-se encantar!

 

 

Pág. 1/2