Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria Inês.

por Inês Saraiva

Maria Inês.

por Inês Saraiva

A Vida não é só para gente magra.

A vida é muito mais do que 86-60-86. É feita de formas, de contornos, de pernas que às vezes roçam uma na outra.

A verdade é que crescemos com a perfeição da Barbie, oh! angustiante boneca, perfeita, linda e com uma vida imaginária de sonho!

Talvez por isso, também aspirámos muitas vezes ser a Barbie, mas até ela mudou... porque a gente de carne e osso também tem "anca larga"!

Cresci com a ideia de "não querer ser gorda", por sorte nunca sofri de nenhum distúrbio alimentar, mas hoje consigo perceber o quão rídiculo era este pensamento. Devemos cuidar da nossa saúde, mas sem exageros.

Cuido de mim, vou ao ginásio quando posso, tenho uma alimentação cuidada e acima de tudo faço por estar e ser Feliz, mas tudo isto porque me sinto bem em fazer tudo isto por mim e só por mim!

 

A vida não é só para gente magra..

Deviam também ter este pensamentos os críticos que ao verem desfilar na semana da moda de Nova Iorque, a fabulosa linha de lingerie para mulheres que vestem a partir do número do 42 de Ashley Graham, bradaram aos céus "Qual é a piada de uma gaja obesa?”, “Não é sexy, é nojento”, “Mas alguém quer ver isto em lingerie?”....

 

mw-860.jpg

 What the f***?!

Com pensamentos destes, entre o mundo da moda, que quer queiramos quer não, influênciam globalmente, não admira que haja por aí tantas mulheres e miúdas com vergonha dos próprios corpos, que os escondem debaixo de roupas largas, a terem vergonha de usar um biquíni, a refugiarem-se no ginásio e em dietas loucas, como se mostrar os contornos de um rabo volumoso fosse um crime nacional!

Vivem escravizadas por estereótipos de beleza, como se não houvesse mais vida para além dos 50 quilos!

Como se a vida, a moda, a lingerie não seja para mulheres que vestem acima de um 36, falei em 36?! Já estou a cometer um crime! (ahahah)

 

A tudo isto Ashley Graham respondeu no seu Instagram: “Estou tão orgulhosa do quão longe a minha linha de lingerie para a Addition Elle conseguiu chegar! Mostrá-la pelo segundo ano consecutivo na Semana da Moda de Nova Iorque é um sonho tornado realidade! Para qualquer menina ou mulher que alguma vez sentiu que não estava a ser representada pela moda, televisão ou pelos media por causa do seu tamanho, agora estão e vão estar para sempre!”

 

Go Ashley! 

Porque o importante é como tu te sentes, enquanto mulher, enquanto pessoa e não aquilo que os outros pensam de ti!

A tua saúde primeiro sim, mas o Amor por ti própria também!

 

 

 

 

Essencialmente,

Ama-te primeiro!

Maria Inês.

[Follow Friday]

 

 

 

FullSizeRender (4).jpg

 

 

 

Lets the story begin!!!

With Love...

Maria Inês.

 

[hot or not?!]

Que a moda é ciclica, penso que todos nós já sabíamos, mesmo assim pensamos sempre que há tendências para as quais já dissemos "Adeus" e que nunca mais voltarão.

 

Uma dessas tendências é a "meia de xadrez" ou "meia de rede". Há uns anos atrás estas meias invadiram por completo o nosso guarda roupa, era vê-las em vários tons, tamanhos, desde meia calça a mini meia, era possível encontrá-las desde tons vermelhos, amarelos até ao simples "cor de pele".

 

Hoje, na grande viagem até aos 80´s a meia calça de rede veio para ficar em 2017!

FullSizeRender (3).jpg

 As opções para as usar são imensas, desde  com mocassins, oxford, até aos ténis, casam na perfeição com estas meias, para as mais ousadas, levem-nas com uma mini saia, as mais discretas com umas calças mais rasgadas.

Podem, ao estilo Moschino, dar-lhe um ar mais roqueiro, tudo depende dos complementos que usarmos, e, aqui nasce o cuidado a ter!

Com estas meias é muito fácil viajar do fashion ao vulgar em segundos!!! É preciso ter muito cuidado na escolha do que vamos vestir com estas meias, bem como escolher muito bem os acessórios, as meias por si já são arrojadas, pelo que não precisam de muito mais...

IMG_6682.JPG

IMG_6683.JPG

IMG_6684.JPG

IMG_6685.JPG

 

Quanto a mim adorooo esta tedência!!!

 

 

 

 

 

Usem, abusem... ousem!

Maria Inês.

 

 

 

[01.01.2017]

_K8A1277.JPG

 

2016. Foste um ano tramado. Foste o melhor e também conseguiste ser tão terrível. Não te consigo descrever melhor do que isto. Mas sei que mal tinhas nascido já eu te desejava, porque seria o Nosso Ano, e, a meio puxaste-me o tapete, fizeste-nos cair no chão, andámos meses a temer o pior, até mesmo nos dias que antecidam o Dia do Ano, o meu casamento.

Mas conseguiste ser doce, soubeste trazer-nos a felicidade de um dia inesquécivel, a esperança de dias melhores. No fundo, tornaste-nos mais fortes, mas também mais reciosos, é estranho 2016!

Dei por mim, entre um e outro desejo de 12 passas, a pedir um único desejo: Saúde! Não quero (ouviste 2017?) que me voltem a puxar o tapete!!!

 

Hoje, no dia 01.01.2017, olho para a frente com serenidade, com a certeza de que mesmo sabendo que nem sempre foi fácil, nem sempre foi ou será perfeito, vive comigo uma vontade, enorme,  de festejar, de acreditar na vida, em todas as coisas, ainda que pequenas, acreditar em cada passo, em cada avanço, ou recuo.

Hoje, sinto-me grata, caí, ás vezes tive ajuda para me levantar, noutras fi-lo sozinha, mas mesmo aqui, sei que nunca estive sozinha, e, sinto gratidão por isso.

Hoje, dia 01.01.2017 tenho também uma pequena lista de resoluções. Resoluções que são a confirmação de tudo o que faz parte da minha essência.

Arrisco nas que podem fazer a diferença neste Novo Ano.

Acredito em mim e em ti Ano Novo.

 

 

 

 

 

Que seja O ano das vossas vidas!

Maria Inês.