Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria Inês.

por Inês Saraiva

Maria Inês.

por Inês Saraiva

Costa Vicentina. O meu roteiro.

Viagem até à Costa Vicentina. O Paraíso.

11759394_1057017790999830_1040051946_n.jpg

 (Praia da Amália)

 

 A sul daqui, do coração do interior, existe um pequeno grande paraíso. A Costa Vicentina. Não há como não a amar, como não ficar maravilhado.

A Costa Vicentina é dona de paisagens naturais indescritíveis! Prende-nos a cada passo que damos... faz-nos querer ali ficar. Sensações que apenas conseguem ser explicadas quando vividas...

Entre arribas altas que contrastam com as praias escavadas na rocha e barrancos profundos, cursos de água, charnecas, campos, o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, criado em 1995, situado no litoral sudoeste de Portugal estende-se desde São Torpes, a sul de Sines, até ao Burgau, já na costa sul algarvia, numa faixa marítima de dois km de largura que acompanha a Área Protegida em toda a sua extensão. Abrange territórios nos concelhos de Aljezur, de Odemira, de Sines e de Vila do Bispo, aqui.

mapa-SW Alentejano.jpg

 (Mapa Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina)

 

 A viagem que vos proponho fazer a partir deste post, onde inicio o roteiro que fiz pela Costa Vicentina, é longa, repleta de paisagens naturais, abruptas falésias, praias e dunas, registadas em fotografias que partilho com vocês. Irei partilhar os nossos dias por aqui, não como um roteiro que quero que sigam religiosamente, até porque como disse várias vezes durante estes dias, andamos para cima e para baixo ao sabor do vento, (uma verdadeira loucura!) quero antes que se deixam maravilhar, e que o nosso roteiro meio confuso sirva de base ao vosso roteiro, espero que mais orientado.. ahahah..

Como vos disse aqui optamos por ficar numa casa na Carrapateira, existem imensas casas para arrendar, mas também existe a opção alojamento local, basta pesquisar até encontrar o alojamento pretendido.

Mas estas opções, não são de todo as únicas opções, para quem goste de caravanismo a viagem torna-se uma verdadeira aventura, ao longo da Costa Vicentina é possível estacionar em vários (tantos) locais a caravana e ali ficar até ganhar vontade de ir embora. Bem, e quem diz caravana fala em qualquer tipo de veículo suscetível de ser utilizado como tal.. O que por ali vemos faz-nos pensar que única coisa que importa é ter vontade de ir, e, a partir daí transformar o seu carro numa casa é o passo seguinte...  O ambiente que se respira por entre os caravanistas é de paz, verdadeira tranquilidade.

Mas para quem goste de caminhar há também a possibilidade de fazer a Costa Vicentina a pé neste site encontram toda a informação que precisam para fazer a Rota Vicentina, pelos pequenos trilhos que fiz posso dizer-vos que a paisagem é arrebatadora e imprópria a cardíacos! Sim porque há caminhos que passam ao lado de ravinas e falésias de cortar a respiração de tão altas que são! Mas para os caminheiros mais corajosos e destemidos esta é sem dúvida uma rota a não perder.

Nós ficamos mesmo por uma casa, (mas confesso que nasceu cá dentro o bichinho do caravanismo) depois foi pegar no carro e partir à aventura, e que aventura! Queríamos conhecer tudoooo, mas o tempo era escasso, afinal só tínhamos 6 dias, e as praias eram tantaaaas... Fizemos então um roteiro com base em pesquisas que fiz antes de viajar e depois acrescentamos paragens que nos iam sugerindo. Uma dessas sugestões apareceu numa das noites na Associação Clube Cultural Amigos da Carrapateira, se ficarem hospedados por lá, vão até à Associação, não se vão arrepender, o espaço é bastante caricato, e é possível passar um serão bastante engraçado. 

Com base neste roteiro, nas sugestões, descobrimos outros tantos recantos cheios de encanto, descobrimos também caminhos sinusos, que nos faziam pensar duas vezes, mas arriscavamos e nunca nos arrependemos.

No próximo post os caminhos que percorremos...

 

Praia da Arrifana e Praia da Bordeira

Praia da Amália

Cabo do Sardão. Praia da Carraca. Praia de Almograve

Restaurante "Tasca do Bernardo", Odemira

Forte de Almádena, praias Boca do Rio, Salema, Zavial, Ingrina

Praia da Cordoama

Praia de Odeceixe e Praia Vale dos Homens

Pizzaria "Pizza Pazza"

Sagres. Cabo de São Vicente.

Vila Nova de Mil Fontes, Ilha do Pessegueiro, Porto Côvo e Sines

 

 

 

 

 

 

 

 

Maria Inês.

 

 

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post